terça-feira, 11 de outubro de 2011

PARA ONDE O AMOR ME LEVAR...

 Desde que me mudei para os EUA, tenho meditado muito. A meditação já era uma prática comum e regular na minha vida desde os meus 16 anos quando encontrei o yoga. Mas nesses últimos dois anos tenho meditado muito mais do que sempre fiz. Sair do meu país e deixar para trás uma carreira de psicóloga clínica com clientes que lotavam meu consultório, não foi fácil. Deixei no Brasil um filho também. Meus pais, minha irmãs, meus amigos, uma cidade que faz parte da minha história e onde eu me reconheço em cada esquina. Gostava muito da minha vida lá. Nenhuma reclamação, além das que todo brasileiro tem. Realmente amava minha casa e minha rotina. 

As pessoas me perguntam porque eu vim para os EUA? Posso responder de várias formas. Posso dizer que penso que essa é uma experiência incrível, que eu queria poder morar em outros lugares, conhecer nova cultura e idioma, posso dizer que seria bom para meu filho caçula estudar em uma universidade americana..., mas nada disso é verdade. A verdade tem a ver com a certeza que tenho que a vida é fugaz, tudo se perde de repente, nada é permanente... o tempo passa muito rapidamente e a única coisa que levarei dessa vida é o amor que amei. Não sei quando vou morrer, ninguém sabe, mas sei que quero viver até o fim ao lado do meu amor. Então a resposta mais sincera é: Porque eu quero viver ao lado do meu amor todos os dias possíveis da minha vida.

Já tentamos viver longe um do outro, mas não conseguimos. Claro que não "morremos" nessas "separações" eventuais, mas a vida fica tão sem graça. Ele poderia ter desistido desse trabalho se eu não quisesse vir, e tenho certeza de que ele faria pelo mesmo motivo, porque me ama. Ele já fez isso em outros momentos, mas essa foi a minha vez. 

Não tenho apego a coisas. Não me sinto obrigada a ser fiel a nada. Posso mudar de opinião e direção. Nunca tive sonho de viver nos EUA , nem acho que isso aqui é uma grande coisa, acho que é um lugar como outro qualquer, cheio de defeitos e qualidades. Nunca acreditei, nem busquei um Xangrilá. Sempre soube, por conta de tantos anos de meditação, que esse paraíso estava dentro de mim e me acompanharia aonde eu fosse. Nunca localizei em coisas ou em lugares o meu bem estar. Por isso, posso perder sem me desesperar e posso ganhar sem me envaidecer. Sinto uma liberdade enorme nisso. Nenhum lugar é o "inferno", muito menos o "céu", mas me dou conta de que só não posso ficar  muito tempo longe do meu amor. Esse é o meu limite. A vida é tão curta, quero viver a minha vida ao lado dele o máximo possível.

Sinto saudades dos meus filhos. O amor que tenho por eles é maior que o mundo, mas posso ficar longe deles. Não os criei para viverem comigo. Eles terão suas vidas e terão suas famílias. Acho lindo pensar que eles podem viver bem sem mim e eu posso viver bem sem eles por perto. Tenho por eles um amor desapegado...que oferece liberdade....é verdade que as vezes a saudade aperta, mas não acho que existe algo de errado em estamos distantes fisicamente. Não pensei em uma vida com meus filhos ao meu lado para sempre..., mas confesso que sonhei e sonho com uma vida com meu amor ao meu lado para sempre...

O mais legal é pensar que mesmo amando-o tanto e de dois anos para cá, seguindo-o por aí, nunca precisei abrir mão de nada da minha vida. Fiz algumas adaptações, é verdade. Mudei a "forma" do meu trabalho. Não tenho mais consultório na forma de uma sala, tenho o skype. Não tenho mais uma sala de aulas com alunos regulares, tenho o twitter e esse blog, e por incrível que pareça nunca me senti tão criativa e produtiva. Acabei de lançar um livro e outro está a caminho! Percebi que minha energia de trabalho pode continuar viva apenas mudando a forma de se expressar. É bem verdade que desses dois anos que moro aqui, fui ao Brasil 6 vezes a trabalho. 

Em breve estaremos mudando para a Coréia, passaremos algo em torno de dois anos lá. Mais um país a desbravar, culturas e idiomas diferentes. Estou muito excitada com essa perspectiva. Penso que viverei entre Salvador onde estão mãe, irmãs, um filho e trabalho, Houston onde ficará outro filho e Seul onde estará meu amor. Se me perguntarem onde é minha casa, responderei: Onde estiver meu coração!  Acho que minha casa só tem crescido nesses anos...que bom, né? 

Que bom meditar e perceber que o amor que sinto faz meu mundo se expandir.

Ludmila Rohr


11 comentários:

  1. SEu amor lembra o amor dos meus pais, o amor que eu vi a minha vida inteira e que sempre admirei!!
    "A única resposta é: Porque eu quero viver ao lado do meu amor todos os dias possíveis da minha vida." ASSIM SERÁ!! Bjs, minha Linda Deusa!!

    ResponderExcluir
  2. Temos a certeza que aonde estiver o AMMOR, tudo fica mais facil. Enfrentando uma mudanca para um Pais diferente de tudo que voce ja viveu, te dara mais forcas para continuar e poder passar suas experiencias para as pessoas que delas precisam. Va, e viva esse AMOR. (AAguiar).

    ResponderExcluir
  3. Também não vivo longe do meu amor...

    ResponderExcluir
  4. Lindo demais!
    Ludmila, para se viver um Grande Amor é preciso ser uma pessoa especial, com uma outra pessoa também especial.
    Amor não é um para qualquer um, há que se ter o coração enorme, a mente aberta, a alma livre!
    Se uma pessoa assim já é raro, imagine duas e estas duas se encontrarem...
    Por isto é tão forte, e tão pleno, porque é AMOR!

    ResponderExcluir
  5. Linda! Quem me conhece sabe quanto é difícil pra mim pensar assim... meu desapego é em relação a tudo. Só não sei quanto eu modificaria da minha vida para seguir um amor. Ainda preciso refletir muito... rs... Inspiradora!
    Que venham os contos e informações de Seul... hahahaha... Adoro!
    Beijo Kika

    ResponderExcluir
  6. Olhe, uma das coisas que mais gosto em você é sua sinceridade. É inspirador você dizer que pode viver longe dos seus filhos, mas não do seu amor. Conheço tanta gente que é pseudo-feliz que nunca admitiria isso... Mais uma vez vejo quanto bem faz uma pessoa a si, quando se conhece e quando medita. É tão difícil admitir o que realmente nos faz feliz... Beijos

    ResponderExcluir
  7. Querida amiga Ludmila

    Vá, como você sempre faz, com a alma livre e o coração aberto, tudo vai dar certo! Até porque o certo é o que acontecer. O encontro compassivo com essa nova civilização vai lhe deixar ainda melhor, conte tudo prá gente quando vier. Estou fazendo questão de escrever para retribuir um pouco, do bem que seus escritos e nossas eventuais interações me proporcionam. Curta mesmo seu amor, como diz o poetinha no livro “Para Viver um Grande Amor”, para isso é preciso ser fiel a esse sentimento. Incrível como eles escrevem aquilo que a gente pensa e não consegue expressar, então, segundo Vinícius:
    “Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade - para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.”

    Beijos e boa sorte!
    Nilza

    ResponderExcluir
  8. Ludmila, venho acompanhando seu blog há algum tempo e ele me traz uma paz muito grande. Resolvi deixar um comentário hoje, pois seu último texto me deixou profundamente emocionada, talvez por me identificar muito com ele.
    Parabéns por escrever de forma tão especial!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Ludmila,
    Li nas suas palavras todos os meus pensamentos. Ainda tenho meus filhos pequenos, mas também sinto por eles esse amor desapegado. Sei que minha vida futura não é ao lado deles, mas sim ao lado do meu marido: Umberto. Ele também é nômade e eu me vejo assim. Já moramos em Aracajú, Fortaleza, Salvador, estamos em Santa Cruz e agora vamos para Brasília. Sempre digo para ele que o melhor lugar é aquele em que estivermos juntos. E lá vamos nós em busca de mais um desafio. Estou feliz, exicitada com as novas possibilidades e muito, muito satisfeita com o fortalecimento da nossa relação. Isso é a base de tudo, né? Um grande beijo! Karina

    ResponderExcluir
  10. Beleza de texto! Sua vida é linda porque vc. a faz assim. Ando dando de presente seu livro e as pessoas estão adorando, vamos esperar o próximo via Corea. Como te conheci muito jovenzinha sei que tudo isto foi fruto de muito trabalho de corpo e alma, além de favorecida pelo exemplo do velho " companheiro". bjão

    ResponderExcluir
  11. O importante é q vc está feliz. Sucesso sempre. Bjs e fik c Deus.

    ResponderExcluir

Sempre leio todos os comentários e gosto muito de recebê-los!