segunda-feira, 18 de abril de 2011

O BEIJO QUE OFENDEU

 Semana passada uma notícia me tocou bastante e me deixou profundamente indignada. Um casal gay foi colocado para fora de um Pub londrino depois de se beijar em público. Minha alma foi lavada em seguida, quando soube que um movimento Gay em Londres, organizou um beijo gay coletivo em frente ao mesmo Pub. Muito bom, mas não parei de me questionar sobre o porque desse beijo ter sido punido.

Estamos em pleno século 21. Muitos países civilizados reconhecem legalmente a união entre pessoas do mesmo sexo. Não existe uma só pessoa que não tenha ou em sua família ou no seu círculo de amigos e conhecidos,  alguém que seja homossexual. A medicina e a psicologia que até um tempo atrás classificavam a homossexualidade como patologia, já reconsiderou isso. É terminantemente proibido a qualquer psicólogo (no Brasil) tratar homossexualidade como psicopatologia, simplesmente porque não é. 

Minutos atrás, li sobre um assassinato a facadas de um travesti na Paraíba e sobre o assassinato de uma mulher por um noivo no dia do seu casamento. Ambos os chocantes casos aconteceram no Brasil. Fiquei tão chocada em pensar o quão monstruoso pode ser o ser humano. Como pode alguém dar 32 facadas em outro ser vivo? O que poderia irritar tanto um homem no dia do seu casamento que o levasse a assassinar alguém? Como essa pessoa no momento do seu casamento em que deveria estar feliz, leve, apaixonada e cheia de amor, pode ter assassinado alguém que nem conhecia, tomado pela raiva? Muito chocante pensar que nós humanos somos capazes de algo assim. Infelizmente, somos.

Ao ler essas notícias de ódio de hoje, fiquei pensando em como uma sociedade tão violenta pode punir o amor e qualquer expressão dele? Como isso é possível? Em meio a tanto ódio e violência, como alguém pode se sentir ofendido por um beijo? Que ousadia ou até mesmo insanidade se sentir ofendido por um simples beijo, enquanto tantas violências acontecem por aí? Como pode alguém classificar um beijo entre duas pessoas adultas como inapropriados ou indecentes, ou ofensivos? 

Isso parece tão absurdo que me faltam adjetivos. 

Sou uma pessoa que adora observar comportamentos. Tenho esse hábito de ficar olhando as pessoas. Observo como elas andam, falam, se expressam...observo seus corpos, sorrisos...faço isso o tempo todo. Adoro em restaurantes observar o comportamento de casais. Sempre olhei com muita pena para casais que passam a noite inteira sentados em uma mesa de restaurante sem trocar uma palavra sequer. Eles mal se olham. Fazem seus pedidos, comem...atendem celulares, pagam a conta e vão embora. 

É verdade que preciso conter um impulso grande de ir lá e perguntar porque esses casais ainda se mantém  juntos? Porque eles estão em um restaurante se lhes faltam assuntos para conversar? Me pergunto por que eles não conversam sobre o fato de estarem ali sem assunto ou sem interesse um no outro? Esses casais me incomodam profundamente...pelo desconforto que eles sentem com essa situação. Eles são muito desconfortáveis. Estão e são desconfortáveis. Confesso que tenho muita pena de casais que chegam a esse ponto. Sem interesse, sem tesão, sem excitação, sem olhares, sem afetos...sem assuntos....sem beijos.

Tenho pena de pessoas que não beijam. Tenho pena de casais que não se beijam mais.

Tenho certeza de que se eu fosse a dona desse Pub, eu preferiria ter no meu bar, casais que trocam beijos e olhares, a casais que passam a noite em silêncio. Com certeza ia preferir observar as expressões de amor, às expressões gélidas da indiferença. Eu ia querer ver em meu restaurantes mãos que se acariciam, que se tocam, ao invés de mãos rígidas sobre o colo, ou segurando celulares.


No meu "Pub", o AMOR sempre teria espaço. No meu pub, a ternura e os beijos iam ser aplaudidos. No meu pub, esse casal que se beijou e presenteou a todos com energia da sua paixão, não pagaria a conta, porque no meu "pub" o amor e sua expressões seriam vistos como bônus para todos que presenciaram. No meu "pub" o amor seria muito bem vindo e seria aplaudido.


Vamos beijar mais....muito mais.

Ludmila Rohr




17 comentários:

  1. "Tenho pena de pessoas que não beijam. Tenho pena de casais que não se beijam mais."
    Lud, utilizando parte do seu texto, dou a minha opinião: odeia aquele que quer, não tem e não quer que o outra tenha.Quem está feliz, não se incomoda com a felicidade do outro.

    ResponderExcluir
  2. É Ludmila, normalmente a felicidade alheia incomoda. Incomoda mais ainda quando essa felicidade é ocasionada pelo amor, pelo "ser par", por está apaixonado. Casais do mesmo sexo felizes? Para muitos não pode. É como se não fosse possível. Sim é possível. A felicidade, o amor, não escolhe o gênero. Ele surge para quem está apto. Infelizmente existem pessoas não aptas para o amor. Essas se incomodam com o amor do outro, pois são infelizes e sozinhas.

    ResponderExcluir
  3. Tenho visto tantos crimes com tanta frequencia por motivos banais que me assustam, fico a pensar o que está acontecendo? quais são as motivações por trás disto? onde vamos chegar? será a fragilidade da nossa justiça? devem ser tantas as causas que merece um estudo, tenho medo, não sei onde vamos parar....matar travesti, gay nas madrugadas virou habitual no Brasil, há grupos que saem as ruas com este proposito, é de enlouquecer...Nub

    ResponderExcluir
  4. Ludmila, gostei muito do seu texto. Estamos em uma sociedade onde praticamente qualquer gesto ou expressão de amor, ou felicidade entre as pessoas parece ser algo errado ou estranho. As pessoas estão cada vez mais distantes uma das outras, os casais são indeferentes aos gestos do seu par, não existe uma troca verdadeira, é tudo muito superficial e frio. É como você falou anteriormente, as pessoas mal se falam, se tocam. Tudo se torna rotina, inclusive o relacionamento. Os passeios, jantares ou momentos de lazer e prazer acabam se tornando um tipo de obrigação social aos olhos dos outros, o casal mal interage de uma forma saudável, e falta muito diálogo, o verdadeiro olho no olho. E o que acontece quando eles se expressam de maneira verdadeira e autêntica? São vetados! Creio que esse foi o caso dos dois homens do pub.É como os outros leitores já comentaram, a felicidade alheia é objeto de inveja ou incomoda.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Simplesmente adorei esse post. É bom sabe que um ato tão bárbaro teve, pelo menos, uma consequencia boa, que foi a indgnidade geral. Gays, lésbicas, héteros, todos estão cansados de tratamentos desiguais!!

    ResponderExcluir
  6. luciana Mascarenhas19 de abril de 2011 18:55

    O beijo é uma expressão de amor e carinho... Não é dado pra ofender, afrontar ou chocar, é uma manifestação corporal de uma alma apaixonada...
    É uma pena que dois homens armados, trocando tiros choquem menos que dois apaixonados, trocando beijos... Lamentável! Parabéns, Lud!

    ResponderExcluir
  7. É isso aí, Lud. Muito bem colocado.
    Os limites da exposição pública das carícias de um par gay, deve ser o mesmo de um casal hétero.
    ANA LIÉSE.

    ResponderExcluir
  8. Amei! No dia em que o amor, em todas as suas formas, for respeitado de verdade, aí sim teremos perspectiva de um mundo melhor. Parabéns pelo texto, Lud! Mila

    ResponderExcluir
  9. Penso exatamente como você Ludmila. A reação dessas pessoas é absurda! O amor deve ser contemplado, exaltado e visto da melhor maneira possível! Hoje em dia, todo mundo conhece um homossexual, cmo vc mesma disse, e mesmo que existam pessoas que não entendam isso, é necessário que haja o respeito e não o preconceito que tanto vem prejudicando as pessoas no mundo! As pessoas andam precisando muito é de AMOR no coração, isso sim! Notícias tristes como essas são lamentáveis, e as pessoas que cometem esses atos inadmissíveis são dignas de pena! Muito bom o seu texto, muito bom mesmo! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  10. Pronto. Virei fã.
    (wwww.diravieira.zip.net)

    ResponderExcluir
  11. Assim como se diz: "Violência gera violência". O carinho gera carinho, amor gera amor. Gostei de seu post pois me fez pensar nisso, ia preferir casais trocando carinhos do meu pub, para estimular esse sentimento nos demais. Pra que ter um lugar de pessoas frias? Só pra pagar a conta?

    ResponderExcluir
  12. Achei tão lindo e fervoroso...
    Meus olhos não conseguiram evitar algumas lágrimas e meu coração sentiu um carinho especial de alguém que não conheço, o que me foi um belo presente!

    Parabéns por ser tão observadora, crítica e sincera!
    Abraços especiais!

    Bons ventos pelos seus caminhos!

    ResponderExcluir
  13. que lindo....Amei!
    Amo esses comentários!!!! AMO!!!!!

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pelo texto. Adorei.

    "Sempre olhei com muita pena para casais que passam a noite inteira sentados em uma mesa de restaurante sem trocar uma palavra sequer. Eles mal se olham. Fazem seus pedidos, comem...atendem celulares, pagam a conta e vão embora.
    É verdade que preciso conter um impulso grande de ir lá e perguntar porque esses casais ainda se mantém juntos?"

    "No meu "pub" o amor seria muito bem vindo e seria aplaudido."

    ResponderExcluir
  15. É o preconceito amiga, ainda há muito por esse mundo fora.

    ResponderExcluir
  16. A atitude foi lastimável mesmo.
    Não sou a favor do homossexualismo, mas acredito q todos devemos ser respeitados em nossas individualidades.
    A sociedade está tão violenta e desregulada porque estamos esquecendo do príncipio básico que Cristo nos deixou: amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmo. Se fizessemo isso, com certeza não existiram cenas lastimáveis como essa.

    ResponderExcluir
  17. Provalmente se fosse uma briga entre os dois seria mais respeitada. Até onde vamos parar em uma sociedade onde um soco é mais importante de que um beijo?

    ResponderExcluir

Sempre leio todos os comentários e gosto muito de recebê-los!