quinta-feira, 12 de março de 2009

O beijo que dei


Tudo que você tem não é seu
Tudo que você guardar
não lhe pertence
Nunca lhe pertencerá...

Conheci a letra dessa música e me encantei...ela se chama Pop Zen de Alexandre Leão. Ela é simples, palavras contadas...parece que nada sobra, me dá a sensação que está na medida exata. A delicadeza das palavras que não excedem nenhuma medida, não rebuscam, nem elaboram, dizem apenas o que deve ser dito, refletem o tema da música, que fala (pra mim) sobre como nos relacionamos com aquilo que pensamos possuir....com as pessoas, com as coisas, com os sentimentos, idéias, sonhos....

Tudo que você tem não é seu
Tudo que você guardar
Pertence ao tempo, que tudo transformará
Só é seu aquilo que você dá

Eu apenas tenho o que posso dar, aquilo que não posso dar, pertence ao tempo. Claro! As pessoas mais ricas que conheço, são aquelas que são generosas...que simplesmente dão, não economizam em dar aquilo que acham que tem de melhor. Elas opinam, elas sonham e compartilham seus sonhos, elas dividem suas experiencias, elas ensinam o que aprenderam, elas amam sem economia...elas dão a quem precisar seus afetos, suas histórias e sua energia...aliás, como se guarda energia? Não consigo entender as pessoas que dizem que precisam preservar sua energia! Como se guarda aquilo que não possuimos!

Tudo aquilo que voce não percebeu
Tudo que não quis olhar
É como o tempo
que voce deixou passar

Não há como voltar o tempo. Assim como não há como atravessar o mesmo rio duas vêzes. Não seremos os mesmos daqui a um segundo. Ninguém será o mesmo. As chances também não serão. Os sentimentos muito menos. Por que então perdemos ou desperdiçamos momentos tão sagrados? Por que economizamos tantas palavras e afetos? Po que nos escondemos tanto?

Tudo aquilo que voce escondeu
Tudo que voce não quis mostrar
Deixe que o tempo, com o tempo
Vai revelar

O tempo é o senhor. Nada passa despercebido dele. Em algum momento teremos que olhar para as nossas histórias mal vividas. Em algum momento teremos que nos deparar com as nossas mentiras. Teremos que olhar para um espelho e nos haver com o que veremos. E por que mentir pra nós mesmos?

Só é seu aquilo que voce dá
O beijo que você deu
É seu, é seu
É seu beijo!

O beijo que não foi dado não existe. O amor que não foi amado não existe. Os afetos que não foram vividos e expressados não existem. São idéias de um beijo, mas não o são. São idéias de um amor, mas não o são. São idéias de uma afeto, mas não o são...

A vida é esse momento. Não existe nada além disso, por que não viver a única coisa que de fato existe?

Namastê

Ludmila Rohr
P.S. Foto de um beijo que foi dado no Taj Mahal, Índia



2 comentários:

  1. A letra da música é linda e o teu texto está sublime.
    Faz a gente parar para repensar!

    Abraço e carinho!

    ResponderExcluir
  2. Lana Rohr Cardoso Philippson25 de março de 2011 15:11

    Lindo!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    vc deveria publicar um livro com seus textos,sao maravilhosos,eu amo ler e adoro textos assim porque te acrescentam algo e fazem um bem danado.Vou copiar mais esse,vale a pena.Pense no que te falei,vc deveria publicar um livro com seus textos,tenho certeza que seria um sucesso.Bjs

    ResponderExcluir

Sempre leio todos os comentários e gosto muito de recebê-los!