domingo, 13 de setembro de 2009

A última!


Estamos vivendo um momento de uma enorme contradição. A alma dividida entre a alegria e alívio e o medo...uma desconfiança.
Judson fez o último ciclo de quimioterapia. A sensação que tenho é que esse ciclo foi o pior de todos. Muita prostração, enjôos, fraqueza, muitas dores...inapetencia..simplesmente horrível..
É tão ruim que não conseguimos ainda nos dar conta de que é o ultimo ciclo!!
ou talvez seja tão ruim exatamente por que é o último ciclo!

Bom..Já vivemos esse momento no ano passado. Fizemos a última quimio e celebramos muito. Jantamos, brindamos, viajamos..., mas o câncer apareceu outra vez e nos assustou muito. Talvêz estejamos com medo de celebrar...

Essa é uma doença que não machuca só o corpo, e não machuca só aquele que ela acomete...ela machuca a alma, e a todos que estão por perto. O câncer modifica a nossa relação inteira com a vida. As nossas prioridades se transformam..os apegos precisam ser trabalhados...muitas coisas ficam pra trás..outras ganham importancia...

Não farei ainda uma avaliação do que o câncer me tirou, nem do que ele me trouxe...ainda é cedo pra isso..., mas quero hoje apenas sentir que vencemos uma etapa importante. Quero abrir meu coração e agradecer à vida por estarmos aqui, juntos nessa luta que não escolhemos lutar, mas que estamos conseguindo lutar...batalhas duras, dolorosas...muito dolorosas..

Quero poder sentir alegria, mas não é uma alegria muito simples de ser sentida, pois Judson está muito mal, enquanto eu escrevo sobre esse momento...ele está há 5 dias sem praticamente comer nada, com muitas dores que o impossibilitam de sair da cama, com perda de sensibilidade nas pernas e mãos, enjôos, prostração...mas, ele conseguiu!

Não sei se sinto alegria ainda, mas sinto um orgulho enorme! Ele é o meu marido..o meu amor..o pai dos meus filhos..e é um guerreiro...que nunca se queixou de nada esse tempo todo...NUNCA e NADA! Nunca se queixou de nada!!! é verdade! Ele foi sempre corajoso, quieto nas suas dores e nos seus medos..mas sempre corajoso e focado. Estamos nessa luta há 17 mêses...e ele é um vencedor.

Ainda não consigo ficar alegre..mas consigo sentir um orgulho muito grande. Uma sensação de missão cumprida...de que a maratona está no fim...ainda não dá pra celebrar, por que estamos exaustos, mas dá pra sentir que conseguimos...e isso é tudo nesse momento.

Namastê

Ludmila Rohr

5 comentários:

  1. Tashi delek, Ludmila! O nome do Judson vai ser colocado nos Livros de Cura e de Remoção de Obstáculos de todos os centros do Chagdud Gönpa Brasil. O seu também. Eu mesma vou enviar e-mails para eles. Como dizia minha avó, "reza e canja de galinha não fazem mal a ninguém"! Durante todo um mês lunar os seus nomes estarão lá. Só me enviem o nome completo de vocês, mas no e-mail anacarmen51@yahoo.com.br Sarwa mangalam! Boa fortuna!

    ResponderExcluir
  2. De http://silenciozen.blogspot.com
    "Não há nada fixo ou permanente, somos processos em transformação. Em cada encontro, nos transformamos. Cada pessoa que encontramos nos transforma.O sofrimento surge quando 'travamos', quando criamos nossas travas, nossas amarras. Façam da Verdade o seu Mestre, e eu viverei para sempre."
    Monja Coen - Zen Yoga - Ed Bodigaya

    ResponderExcluir
  3. Confie com confiança.

    Bjs e muita PAZ

    ResponderExcluir
  4. Olá ludmila, Olha eu sei que é um saco a gente ficar falando vai passar... Mas no caso de Judson vai mesmo passar. Essa sensação de meio morte que a gente fica é triste para quem esta passando e, para quem está assistindo.
    Eu, depois da ultima internação, me foi recomendado (FALE COM O ONCO)por conta da baixa imunidade, falta de apetite e afins tomar 03 ao dia FORT CARE, é um suco bem concentrado 125 ml, muito calórico, proteico e tenho tomado durante a semana da quimio. Me deixa mais resistente tenho percebido. Se depois de falar com o médico vc quizer passo o telefone, pois a venda é somente no 0800. Força e Cura para Vcs!!!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Lud!

    Certa vez uma amiga querida me disse que o sofrimento do corpo era inevitável, mas que eu poderia escolher se minha alma iria sofrer junto com o corpo ou não...
    Suas palavras nunca saem do meu pensamento, e nelas encontro muitas vezes a serenidade quase perdida nos momentos de dúvida e mal estar que passo ou que vejo alguém querido passar.
    Nossa convivência virtual me faz repetir essas palavras para você, pois tornou-se presente na minha vida de uma maneira muito especial, e quero ver você e os seus sempre bem, sempre fortes, esperançosos, vivendo a vida!

    Até amanhã, amiga querida!

    ResponderExcluir

Sempre leio todos os comentários e gosto muito de recebê-los!