segunda-feira, 2 de março de 2009

Amar sem economia!


Meu filho está triste. Ele vive nesse momento uma perda que certamente o faz experimentar sentimentos contraditórios. Sua namorada, seu amor, foi morar em SP, foi realizar um grande sonho profissional. Ela batalhou muito pra conseguir isso, e com certeza está muito feliz e muito triste nesse momento. Ele também. Essa parece ser uma história comum de amor entre dois jovens, mas não é.

A relação de Caio com o amor não é comum. Ele, diferente da maioria dos rapazes da idade dele, nunca teve medo de amar. Ele sempre amou muito sem nenhuma economia. Ele amou quando era criança. Teve uma "namorada" quando estava com uns 5 anos, e amou sem reservas e do jeito que é possível para uma criança. Ele amou quando era um púbere, amou muito na adolescência e ama muito agora, no final dela. Ele teve poucas namoradas, não era de "ficar" e estava feliz quando estava amando.

Esse amor que ele vive agora, é um amor adulto...a relação é adulta, o envolvimento é adulto e por isso mesmo tem que lidar com as questões da vida adulta. Trabalho, futuro...etc...tudo nessa fase da vida tem consequencias e é preciso pensar na vida, não apenas vivê-la. Então, minha norinha foi embora....imagino que aos prantos...e eu terei que ver meu filho triste e saudoso...

Sempre achei lindo o fato de Caio ser feliz amando. Nunca coloquei nenhuma dificuldade nas relações dele. Sempre gostei muito do fato dele abrir o coração sem medo e se entregar ao amor, mesmo que isso o levasse a algum sofrimento. Pensava que é lindo amar e que uma vida sem amor, é uma vida sem sabor, sem saudades...sem lembranças...sem graça.

Já ouvi muitas histórias de dor e sofrimento que levaram seus protagonistas a concluirem que não querem mais amar, que o amor causa dor, e por medo da dor, da possibilidade da perda ou de estar "nas mãos" do outro, as pessoas fecham o coração. Nessas histórias, o amor parece ser o culpado...as pessoas querem acreditar que é o amor que as levaram ao sofrimento, e não seus apegos, inseguranças e desejo de dominação...etc.

Bom...acho lindo amar, acho que amar é a maior necessidade do nosso coração. Acho que as pessoas confundem a necessidade básica do coração de amar, com a necessidade de ser amado. Amar alimenta, amar enriquece, amar traz beleza....não vejo sombra em alguém que ama. O verdadeiro amor, traz liberdade e leveza. Quando se ama, se quer o melhor para o amado. Amar faz bem ao corpo, a mente e ao espírito.

Fico triste por ver meu filho sofrendo, mas certamente ficaria muito mais triste se ele fosse indiferente ou que se defendesse do amor.

Namastê

Ludmila Rohr


4 comentários:

  1. Oi Lu!

    Compartilho com vc esse sofrimento, já vi meu filho chorar por uma separação assim, é de cortar o coração, e o pior é que não podemos fazer nada, não podemos abrir o coração dele e tirar esse amor, ficamos impotentes.

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Minha amiga querida!
    Sinto sua falta!

    bjo

    ResponderExcluir
  3. Sua nora tem um sorriso encantador e forma com seu filho um belo casal. São Paulo não é tão longe! entendo os jovens, as distancias são maiores nesta fase da vida. Diga a ele que curtir saudade também aumenta a paixão e com certeza eles irão se ver....e o amor será imenso.... o tempo passa rápido, agora com a internet fica mais fácil e de repente eles estarão juntos e mais felizes. Bjo. Nubélia

    ResponderExcluir
  4. Essas namoradas fazendo meu Catito sofrer!!!

    ResponderExcluir

Sempre leio todos os comentários e gosto muito de recebê-los!